Departamento de Estado dos Estados Unidos
Bureau das Relações Político-Militares
5 de abril de 2021

Os Estados Unidos são o maior apoiador financeiro dos esforços globais de destruição de armas convencionais. Esses esforços vêm promovendo a paz e a segurança internacionais ao abordar os riscos humanitários de minas terrestres e munições não detonadas em países pós-conflito. Também fazemos parcerias com nações ao redor do mundo para reduzir a disponibilidade excessiva de armas de pequeno porte, armamentos leves e munições mal protegidos.

Hoje, o lançamento da 20ª edição do To Walk the Earth in Safety (Andar pela Terra em Segurança, em tradução livre), o relatório anual do Departamento de Estado que resume as conquistas do Programa de Destruição de Armas Convencionais dos EUA, destaca o compromisso duradouro dos Estados Unidos em tornar as comunidades pós-conflito mais seguras e preparar o terreno para a recuperação e o desenvolvimento delas.

  • Desde 1993, os Estados Unidos investiram mais de US$ 4 bilhões para a remoção segura de minas terrestres e armas explosivas de guerra, assim como para a proteção e eliminação segura do excesso de armas de pequeno porte, armamentos leves e munições em mais de 100 países, tornando os Estados Unidos o maior apoiador financeiro mundial da destruição de armas convencionais. Em 2020, os Estados Unidos financiaram esforços de destruição de armas convencionais em 49 países com mais de US$ 259 milhões.
  • Os Estados Unidos financiaram programas de gestão de arsenais em todo o mundo com o objetivo de reduzir armas e munições que apresentam riscos e melhorar a segurança dos arsenais a fim de evitar o desvio de armas para terroristas e outros agentes desestabilizadores.
  • Através do programa de destruição de armas convencionais, o governo dos EUA tem colaborado com nações parceiras e organizações internacionais para destruir mais de 39.000 sistemas portáteis de defesa aérea (MANPADS) excedentes ou mal protegidos, mísseis portáteis que, se protegidos de forma inadequada, representam uma séria ameaça para a aviação civil global.
  • Nossa Força de Reação Rápida (QRF) tem flexibilidade para ajudar outros países em caso de emergência, oferecendo primeiros socorros tanto para prevenir um evento explosivo catastrófico em um depósito de armas e munições quanto para administrar os efeitos posteriores de tal explosão.
  • A divulgação proativa da comunidade através de nosso programa de Educação sobre o Risco de Artefatos Explosivos evitou incontáveis ferimentos, enquanto a Assistência ao Sobrevivente, financiada pelos EUA, forneceu serviços médicos e de reabilitação essenciais para pessoas feridas por minas terrestres e artefatos não detonados.
  • Trabalhando em estreita cooperação com o Departamento de Defesa e a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, o Departamento de Estado ajudou vários países a se declararem livres de minas terrestres.

Para mais informações ou para obter uma cópia impressa do relatório To Walk the Earth in Safety (Andar pela Terra em Segurança), por favor entrem em contato com o Bureau de Assuntos Político-Militares, Escritório de Relações Públicas e Parlamentares, pelo e-mail pm-cpa@state.gov, e nos sigam no Twitter @StateDeptPM.  O relatório também está disponível no site do Departamento de Estado em https://www.state.gov/to-walk-the-earth-in-safety/.


Veja o conteúdo original: https://www.state.gov/to-walk-the-earth-in-safety-20th-edition-u-s-global-leadership-in-landmine-clearance-and-conventional-weapons-destruction/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future