Departamento de Estado dos EUA
Gabinete do Porta-Voz
Nota de Imprensa
17 de novembro de 2022

O Departamento de Estado está comprometido em facilitar viagens legítimas aos Estados Unidos ao mesmo tempo em que protege a segurança nacional.

Muitos solicitantes de vistos americanos são obrigados pela lei dos Estados Unidos a comparecer pessoalmente. No entanto, as restrições locais em tempos de pandemia para locais públicos, como nossas seções consulares no exterior, restringiram nossa capacidade de atender os solicitantes de visto. Isso reduziu o número de pedidos de visto que o Departamento poderia processar. Agora que a maioria dos países suspendeu as restrições, 96% de nossos consulados e embaixadas podem fornecer serviços rotineiros de vistos. A combinação da demanda reprimida dos últimos dois anos combinada com a demanda sazonal regular resultou em tempos de espera prolongados para entrevistas de visto dos EUA em alguns locais – principalmente para solicitantes de visto de visitante que estão fazendo a solicitação pela primeira vez e solicitantes de visto de imigrante de certos países.

O Departamento de Estado está reduzindo com sucesso os tempos de espera para entrevistas de visto em todo o mundo. Dobramos nossa contratação de funcionários do Serviço de Relações Exteriores dos EUA para fazer esse trabalho importante, o processamento de vistos está voltando ao ritmo normal mais rapidamente do que o projetado e, no ano fiscal (AF) de 2023, esperamos atingir os níveis de processamento de vistos pré-pandemia.

A partir de novembro de 2022, o tempo médio de espera para um agendamento de entrevista de visto de turista (B1/B2) em todo o mundo é de cerca de dois meses e os solicitantes com necessidades urgentes de viagem que atendem a determinados critérios podem solicitar um agendamento de emergência, geralmente disponível em alguns dias. Estamos empenhados em continuar nosso progresso e reduzir ainda mais os tempos de espera para entrevistas de visto o mais rapidamente possível.

No ano passado, fizemos grandes progressos no retorno aos níveis de processamento de vistos pré-pandemia e na redução do tempo de espera de agendamento, fazendo o seguinte:

  • Estamos dispensando entrevistas pessoais sempre que possível, ao mesmo tempo em que protegemos a segurança nacional.
  • Reduzimos significativamente o tempo de espera em muitas embaixadas e consulados, trabalhando com o Departamento de Segurança Interna para expandir nossa autoridade a fim de dispensar entrevistas pessoais para certas categorias de vistos de não-imigrante e para muitas renovações, enquanto protegemos a segurança nacional.
  • Aproximadamente metade dos quase 7 milhões de vistos de não-imigrante que emitimos globalmente no ano fiscal de 2022 foram adjudicados sem uma entrevista pessoal.
  • Ultrapassamos os níveis de processamento pré-pandemia das principais categorias de vistos que ajudam a economia dos EUA.
  • Emitimos quarenta por cento (40%) a mais de vistos H-2 para trabalhadores sazonais agrícolas e não-agrícolas no ano fiscal de 2022 do que no ano fiscal de 2019. Esse esforço aumenta as vias de imigração legal, reduz a migração irregular para nossa fronteira sul, melhora os problemas da cadeia de suprimentos que contribuem para a inflação e protegem o abastecimento alimentar da nossa nação.
  • Emitimos mais vistos de estudante no ano fiscal de 2022 do que em qualquer ano desde o ano fiscal de 2016. Durante o ano acadêmico de 2021-2022, os estudantes internacionais contribuíram com mais de US$ 32 bilhões para a economia dos EUA.
  • No ano fiscal de 2022, emitimos cento e quarenta e cinco por cento (145%) mais vistos de imigrantes baseados em emprego e solicitados em sua maioria por profissionais de saúde em comparação com o ano fiscal de 2019.
  • Quase igualamos as taxas de processamento pré-pandemia para os tripulantes das companhias aéreas e marítimas, que são essenciais para manter as cadeias de suprimentos globais.
  • Estamos processando mais vistos com menos funcionários consulares.
  • No fim do ano fiscal de 2022, já tínhamos processado noventa e quatro por cento (94%) dos vistos de não-imigrante que processamos no ano fiscal de 2019 e cento e trinta por cento (130%) dos vistos de imigrantes em comparação com as médias mensais de processamento do ano fiscal de 2019.
  • Continuamos adicionando mais funcionários consulares no exterior, mas, enquanto isso, implementamos práticas eficientes que nos permitem trabalhar mais com menos recursos, ao mesmo tempo em que protegemos a segurança nacional.
  • Estamos trabalhando como uma equipe global.
  • Usamos soluções tecnológicas inovadoras para redistribuir eletronicamente cargas de trabalho de vistos de não-imigrantes de postos no exterior com longos tempos de espera para agendamento de vistos para outros postos com capacidade adicional.
  • Todos os dias, por exemplo, funcionários consulares dos EUA em diferentes partes do mundo analisam remotamente milhares de pedidos de visto de não-imigrante para solicitantes de países com longos tempos de espera para entrevistas, mas que não precisam de entrevista. Isso permitiu que nossos funcionários consulares nesses países se concentrassem nas pessoas que estão solicitando visto pela primeira vez e em outros solicitantes que precisam de uma entrevista.
  • Estamos oferecendo maior transparência aos solicitantes de visto.
  • Para promover maior transparência e melhorar o atendimento ao cliente, adicionamos novas ferramentas em travel.state.gov, para que o público possa visualizar e comparar os tempos de espera nas embaixadas e consulados para entrevistas de visto de não-imigrante e solicitações de dispensa de entrevista.

Essas conquistas são apenas o começo de uma nova abordagem para o nosso trabalho. A equipe dedicada do Departamento de Estado continuará com esses e outros esforços para atender à demanda sem precedentes, para que o povo americano e a economia dos EUA se beneficiem mantendo nossas portas abertas para visitantes legais.


Veja o conteúdo original: https://www.state.gov/addressing-u-s-visitor-visa-wait-times/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future