An official website of the United States Government Here's how you know

Official websites use .gov

A .gov website belongs to an official government organization in the United States.

Secure .gov websites use HTTPS

A lock ( ) or https:// means you’ve safely connected to the .gov website. Share sensitive information only on official, secure websites.

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete do Porta-Voz
Sessão Informativa

21 de setembro de 2021
Via Teleconferência

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Boa noite a todos e obrigado por estarem aqui conosco. Queremos aproveitar esta oportunidade para lembrar os trabalhos do Secretário de Estado Blinken hoje na ONU e em paralelo à assembleia, e também para adiantar um pouco sobre os trabalhos dele amanhã aqui em Nova York. Nessa coletiva por telefone, falaremos sobre o contexto desses compromissos. Você pode atribuir as declarações a altos funcionários do Departamento de Estado. Apenas para seu conhecimento, hoje está conosco [Funcionária Sênior do Departamento de Estado 2]. Ela fará alguns comentários iniciais e, em seguida, ficaremos contentes em responder suas perguntas. Com isso, passo a palavra à minha colega.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Obrigada, [Funcionário Sênior do Departamento de Estado 1]. Certo, colegas, é ótimo estar de volta a Nova York para a Semana de Alto Nível da Assembleia Geral da ONU, o Super Bowl da diplomacia global. Tivemos algumas reuniões cara a cara, tivemos alguns envolvimentos diplomáticos virtuais e o Secretário de Estado está aproveitando ao máximo seus quatro dias aqui.

Hoje, além de acompanhar o Presidente no Salão da Assembleia Geral para os pronunciamentos desta manhã, ele também participou da reunião do Presidente com o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, e teve suas próprias reuniões bilaterais com suas contrapartes da Turquia e do Brasil. A reunião desta tarde com o ministro das Relações Exteriores turco, Cavusoglu, durou cerca de uma hora, e os dois, é claro, discutiram longamente sobre o Afeganistão. Eles também falaram sobre a Síria e tiveram uma conversa relativamente longa sobre o Cáucaso – Armênia, Azerbaijão, Nagorno-Karabakh.

E passo para [Funcionário Sênior do Departamento de Estado 1] para falar sobre a reunião brasileira, da qual eu não participei.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: O Secretário de Estado acabou de encerrar um bom encontro com seu colega brasileiro. A reunião durou cerca de 45 minutos, talvez um pouco mais. Houve uma discussão, uma discussão extensa sobre questões climáticas, a necessidade de aumentar a ambição climática em todo o mundo se quisermos cumprir as metas conforme nos aproximamos de Glasgow. Houve também uma discussão sobre migração regional e uma nota por parte do Secretário de Estado de que o Brasil é – nossa relação com o Brasil é vital tanto em termos de esfera estratégica quanto econômica. Nossa cooperação com o Brasil – houve discussões sobre isso no hemisfério e de forma mais ampla, especialmente enquanto nos preparamos para trabalhar com o Brasil como membro do Conselho de Segurança da ONU nos próximos dois anos.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Ótimo. E amanhã será outro dia repleto de ação diplomática, começando com a reunião conjunta do Secretário de Estado com cinco países parceiros da Ásia Central – Cazaquistão, República do Quirguistão, Tajiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão. É o formato C5+1, agora em seu quinto ano. Essa sempre foi uma plataforma diplomática valiosa para aumentar a colaboração regional em torno de uma Ásia Central próspera e segura e para abordar as preocupações comuns, mas adquire maior destaque porque muitos desses países são vizinhos diretos do Afeganistão, então temos muito o que conversar. E eles também têm sido parceiros fortes em nossos esforços de evacuação.

Outros compromissos bilaterais para o Secretário de Estado amanhã incluem uma reunião com o Alto Representante da UE, Borrell, e o Ministro de Negócios Estrangeiros egípcio, Shoukry. O Secretário de Estado também terá um encontro com o presidente da Assembleia Geral da ONU, Abdulla Shahid. O Presidente – o Secretário de Estado também fará um pronunciamento na sessão de encerramento da cúpula virtual de COVID do Presidente Biden, que se concentra em expandir e aprimorar nossos esforços compartilhados para derrotar a COVID-19. A Casa Branca está obviamente fazendo mais análises sobre os objetivos da cúpula.

Amanhã à tarde o Secretário de Estado participará de uma reunião virtual com os ministros das Relações Exteriores do G20, organizada este ano pela presidência italiana do G20, com foco no Afeganistão. Apreciamos muito o papel da Itália como Presidente do G20 e a liderança do Ministro das Relações Exteriores Di Maio em convocar este importante diálogo para discutir como continuar apoiando o futuro das mulheres e meninas afegãs e o acesso delas à educação. Esse é o foco particular do G20, mas acho que provavelmente vamos falar sobre todos os aspectos da situação no Afeganistão.

No fim do dia, o Secretário de Estado participará de uma reunião trilateral com suas contrapartes estrangeiras da República da Coréia e do Japão. O Secretário de Estado e os chanceleres destacarão o escopo global da cooperação EUA-Japão- República da Coréia com base em valores compartilhados, assim como nosso compromisso em preservar e promover a paz regional, a estabilidade e a prosperidade no Indo-Pacífico.

Finalmente, o Secretário participará de uma reunião P5 com seus colegas do Reino Unido, França, China e Rússia. Portanto, tem sido uma semana de alto nível muito movimentada. Essa última reunião, a P5, é sediada pelo Secretário-Geral da ONU, Guterres.

Com você, [Funcionário Sênior do Departamento de Estado 1].

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Excelente. Com isso, ficaremos contentes em responder suas perguntas. Operador, se quiser repetir as instruções para fazer perguntas.

OPERADOR: Obrigado. Se você gostaria de fazer uma pergunta hoje, pressione 1 e, em seguida, 0 no teclado do seu telefone e também espere para começar sua pergunta até que eu confirme que sua linha está aberta. Mais uma vez, pressione 1 seguido por 0.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Começaremos com Shaun Tandon.

OPERADOR: Essa linha está aberta. Por favor, siga em frente.

PERGUNTA: Olá, obrigado por essa coletiva. Posso perguntar algumas coisas sobre o que vocês disseram? [Funcionário Sênior do Departamento de Estado 1], o senhor mencionou – o senhor falou sobre o Brasil. Com tantos países aqui, qual é a razão de escolher o Brasil? Há algo específico que vocês estão querendo com eles ou que acha que pode trabalhar com eles? Questões climáticas – vocês veem algum progresso em relação às metas climáticas do Presidente? E quanto a COVID e as visões peculiares do Bolsonaro sobre a COVID, esse foi um tópico que surgiu nas conversas?

E [Funcionária Sênior do Departamento de Estado 2], percebi que a senhora mencionou a reunião bilateral com a Turquia, o Cáucaso, Nagorno-Karabakh. A senhora poderia elaborar um pouco mais sobre isso? Há esperança de algum progresso lá, talvez também sobre a questão que a Armênia levantou recentemente sobre as tropas russas na fronteira? Esses tópicos foram levantados?

Obrigado.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Obrigado, Shaun. Então, vou começar com o Brasil. Como disse no discurso de abertura, o Secretário de Estado observou, no início de seu encontro com sua contraparte brasileira, que a relação estratégica e econômica entre nossos dois países é vital. A cooperação envolve interesses regionais, mas muito além do ângulo do Conselho de Segurança da ONU e do tamanho e peso de nossas economias e do papel que desempenhamos no cenário internacional. Isso, é claro, inclui questões climáticas.

Houve uma longa discussão sobre o clima. A discussão sobre o clima foi provavelmente o tópico mais longo dessa sessão. O Secretário de Estado ressaltou que, quando países tão grandes e que emitem tanto CO2 quanto nossos dois países estabelecem metas ousadas e ambiciosas, outros países notam. E assim, a capacidade e a vontade do Brasil de elevar suas ambições climáticas não trariam apenas um resultado líquido positivo à medida que avançamos em direção a Glasgow, mas também o mundo notaria e isso provocaria ações adicionais também.

Há outros desafios do hemisféricos que enfrentamos, incluindo o da migração. Houve uma discussão sobre migração e as maneiras pelas quais podemos trabalhar juntos nesse desafio. E então houve uma discussão sobre o aprofundamento de nossos laços econômicos também. Houve uma discussão sobre a COVID. Claramente, é uma prioridade nossa. Sabemos disso – e o Secretário de Estado afirma sistematicamente que, para que os americanos estejam seguros, para que as pessoas estejam seguras em qualquer lugar, precisamos lidar com isso em todos os lugares. E então houve uma discussão sobre os esforços do Brasil para combater o vírus em casa e contribuir para o esforço global de enfrentamento do vírus em todo o mundo.

Vou passar a palavra à [Funcionária Sênior do Departamento de Estado 2].

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Excelente. Portanto, acho que você sabe que, no início da guerra Armênia-Azerbaijão no começo desta primavera, os EUA tentaram ser úteis apoiando uma conversa de paz e reconciliação entre os dois. Participamos de uma troca de – fizemos parte de uma troca de alguns mapas de desminagem, que os armênios entregaram aos azerbaijanos no território disputado em troca da libertação de alguns detidos.

Então, a questão agora é se, com o apoio dos EUA, com o apoio de outros países do Grupo de Minsk, com o apoio da Turquia, podemos fazer mais para facilitar a redução das tensões entre os dois, ambos ao longo da fronteira, no que diz respeito aos detidos restantes, no que diz respeito às minas restantes, e então tentar ajudá-los a dar alguns pequenos passos que podem abrir o caminho para um processo mais amplo de paz e reconciliação.

Portanto, o Secretário de Estado deixou claro para a Turquia, que tem estado muito envolvida nesse conflito e é vizinha deles, que estamos preparados para ajudar, se pudermos. Também estamos, em um nível abaixo do Secretário de Estado, tendo reuniões bilaterais com os armênios e azerbaijanos esta semana e fazendo a mesma oferta lá.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:  Vamos para Michele Kelemen.

OPERADOR:  Obrigado. Sua linha está aberta.

PERGUNTA:  Gostaria de perguntar sobre o Afeganistão. Em primeiro lugar, gostaria de saber se vocês esperam que o Secretário de Estado se pronuncie no G20 quanto ao que ele pensa sobre como lidar agora com o Talibã. E o Talibã escreveu à ONU pedindo credenciais. Eles querem falar nesta Assembleia Geral. Eu entendo que os EUA estão no Comitê de Credenciais, então, pergunto se vocês acham que é uma boa ideia.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Esperamos que o Secretário de Estado faça uma intervenção no G20. Acho que vocês se lembram de que, cerca de duas semanas atrás, ele organizou uma ampla reunião bilateral de vizinhos do Afeganistão e partes interessadas e com o ministro das Relações Exteriores, Maas, quando esteve na Alemanha. A reunião do G20 terá alguns desses mesmos participantes, mas também terá uma seleção diferente de países.

E, da nossa perspectiva, é muito importante garantir que mantenhamos os países juntos no apoio aos princípios que estavam na resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre o Afeganistão no que diz respeito às expectativas internacionais do Talibã: que eles continuarão promovendo e permitindo a livre circulação de pessoas, que permitirão e apoiarão a assistência humanitária tanto das agências da ONU quanto das ONGs, e que cumprirão os compromissos que assumiram com o contraterrorismo, seja quanto ao ISIS-K ou quanto à Al Qaeda. Portanto, temos muito o que conversar para avaliar onde estamos nos compromissos que o Talibã assumiu, especialmente agora que temos um governo interino em vigor.

Desculpe, no que diz respeito ao pedido de credenciais dos afegãos, como você disse, Michele, há um Comitê de Credenciais. Fazemos parte dele. Levará algum tempo para deliberar, e obviamente acompanharemos esta questão de perto e deliberaremos junto com outros membros do Comitê de Credenciais.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:   Vamos para Matt Lee.

PERGUNTA: Olá.

OPERADOR:  Sua linha está (inaudível).

PERGUNTA:  Sim, oi. Consegue me ouvir? Alô?

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:   Pode falar, Matt.  Estamos te ouvindo.

PERGUNTA: Sim, ok. Muito breve: o que aconteceu com a reunião transatlântica do Quad que deveria ser amanhã – Reino Unido, França, Alemanha, EUA?

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Tivemos uma reunião do Quad no meu nível hoje. Acho que as programações atrapalharam reuniões em nível ministerial, mas muitos desses países se verão em outros formatos tanto no – todos se verão na reunião do G20 e pelo menos na do P3, todos farão parte da reunião P5 do Secretário-Geral amanhã à noite.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:  Vamos para Michael Crowley.

OPERADOR:  Sua linha está aberta.

PERGUNTA:  Oi, obrigado pela coletiva. Oi, pessoal. Obrigado por isso. Alguma reação ao discurso de Raisi hoje? Isso muda a compreensão de vocês quanto à visão do Irã sobre as negociações nucleares?

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:   Obrigado, Michael. Obviamente, notamos o discurso dele. Acho que o que vamos buscar é menos em termos de retórica e mais em termos de ações, em termos do que vemos os iranianos fazer, inclusive em relação a vontade deles de se engajar novamente no contexto de Viena nas próximas semanas. Observamos a declaração do Ministério das Relações Exteriores sobre um possível cronograma lá. Continuamos acreditando que precisamos nos engajar novamente no contexto de Viena o mais rapidamente possível.

O Secretário de Estado tem afirmado sistematicamente que, embora continuemos acreditando que um retorno mútuo ao cumprimento do JCPOA é de nosso interesse e que impede de forma verificável e permanente o Irã de obter uma arma nuclear, este não é um exercício que pode ser feito indefinidamente. Com o passar do tempo, as vantagens que o JCPOA originalmente oferecia são degradadas à medida que o Irã continua girando centrífugas avançadas e se envolvendo em atividades e condutas proibidas pelo acordo de 2015.

Então, vamos – o Secretário terá a oportunidade de falar e teve a oportunidade de falar com alguns de seus colegas do P5+1 nesta semana. Há consenso dentro do contexto P5+1 sobre isso e estaremos esperando para ver o que os iranianos estão dispostos a fazer quando se trata de Viena daqui para frente.

Vamos para Humeyra Pamuk.

OPERADOR:  Obrigado. Sua linha está aberta.

PERGUNTA:  Olá, oi. Obrigado por isso. Tenho duas perguntas, mas também gostaria de dar seguimento às perguntas de alguns colegas.

Então, [funcionária sênior do Departamento de Estado 2], posso – poderia apenas esclarecer se a reunião transatlântica do Quad está encerrada agora? E a senhora mencionou problemas de agendamento. Isso tem alguma coisa a ver com o tipo de desacordo atual ou, digamos, a crise entre a França e os Estados Unidos?

E, pegando carona nisso, perguntamos no início desta semana se o Secretário de Estado vai ter um acordo bilateral com Le Drian. Disseram-nos que o cronograma era dinâmico. Quais são as últimas notícias? Haverá um acordo bilateral?

E já que temos vocês hoje – porque acho que não tivemos a chance de perguntar isso a ninguém em um briefing ainda – como essa crise chegou onde está? Foi um erro de cálculo dos EUA? De uma forma ou de outra, o Departamento de Estado foi pego de surpresa pela Casa Branca e não percebeu que a França ficaria furiosa com essa medida? E o que vocês estão planejando agora (inaudível)? Porque, é claro, que eles estão esperando por algumas reviravoltas por parte dos EUA. Obrigado.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:  Ei, Humeyra. Responderemos apenas algumas de suas perguntas – sua última pergunta em particular, acho, está além do escopo desta teleconferência. Teremos outras oportunidades para abordar isso. Mas vou passar a palavra para minha colega para discutir os eventos de hoje e amanhã.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Então, só para lembrar, como vocês já sabem, a Casa Branca deixou claro que o Presidente Biden espera falar com o Presidente Macron relativamente em breve. Como eu disse antes, esperamos que o Secretário de Estado Blinken veja o ministro das Relações Exteriores Le Drian na reunião ministerial P5 amanhã e na reunião virtual do G20, mas eles certamente estarão na mesma sala amanhã na reunião ministerial P5 e terão a chance de trocar opiniões sobre vários tópicos.

Com relação a possibilidade de precisarmos de uma reunião do Quad no final da semana, como você falou, os horários são sempre dinâmicos. Acho que a questão será se é preciso ou não. E espero que o Secretário de Estado e o ministro das Relações Exteriores tenham a chance de trocar pontos de vista em algum momento ao longo da semana.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:  Vamos para Jennifer Hansler.

OPERADOR:  Essa linha está aberta.

PERGUNTA:  Oi, muito obrigada por isso. Na reunião com Borrell, quem solicitou essa reunião para quem? A reunião aconteceu por causa dessa crise com a França? Borrell disse que não foram informados sobre o acordo de agosto com antecedência.

E então, na reunião C5, vocês estão buscando novos compromissos específicos com esses países em relação ao Afeganistão? Obrigada.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2:  Eu diria que, sobre a reunião com Borrell, estávamos planejando uma visita bilateral do ministro das Relações Exteriores a Washington neste outono, e acho que isso também acontecerá. Mas sempre há muito o que conversar, então ter uma troca com ele aqui também é muito útil. Acho que vocês sabem que o Conselho de Comércio e Tecnologia se reunirá na próxima semana com a UE. Também nos reunimos com a UE aqui no nível do Secretária Adjunta Sherman e no nível do Diretor Político. Portanto, essas conversas são muito dinâmicas, para usar a palavra em voga esta noite.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:   Vamos para Will Mauldin.

OPERADOR:  A linha está aberta.

PERGUNTA:  Oi, muito obrigado por isso. Só gostaria de perguntar, novamente, se o senhor saberia dizer se haveria alguma interação bilateral com o Secretário de Estado Blinken ou com o ministro das Relações Exteriores da França na ONU ou qualquer – o Secretário de Estado Blinken visitaria Paris, o ministro Le Drian visitaria Washington em breve, ou quando teremos essa ligação, já tão atrasada, com os dois Presidentes? Porque alguns de nós estão se perguntando até que ponto essa questão leva a uma espécie de declínio de médio a longo prazo nas relações com o aliado mais antigo da América, como tantas vezes o chamamos. Obrigado.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2:  Acho que já falamos sobre isso algumas vezes nesta coletiva. Fiquem de olho. Os Presidentes vão conversar e o Secretário de Estado e o chanceler também terão amplas oportunidades ao longo da semana. Obrigado.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:   Vamos para Barbara Usher.

OPERADOR:  A linha está aberta.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:  Barbara, você está aí? Parece que não temos a Barbara. Vamos para Joel Gehrke.

OPERADOR: A linha de Joel Gehrke está aberta.

PERGUNTA:  Oi, obrigado pela coletiva e por responder minha pergunta. Gostaria de acompanhar alguns dos meus colegas – nesta questão das relações EUA-UE e no contexto da França. A UE afirmou que adiou – que queria adiar os preparativos para uma reunião marcada para quarta-feira para preparar-se para o Conselho de Comércio e Tecnologia. Não é – eu não sou – vocês podem confirmar isso, e vocês podem dizer se estão preocupados que esta disputa com a França possa, de alguma forma, prejudicar ou interferir em sua capacidade de prosseguir com a reunião do Conselho de Comércio e Tecnologia? É a mesma coisa que a reunião transatlântica do Quad, que saiu da agenda, aparentemente?

E então, sobre o Afeganistão, eu me pergunto o que – se vocês poderiam falar mais sobre a reunião de amanhã com o Tadjiquistão e alguns dos outros países regionais. Obviamente, o Tajiquistão tem uma história de apoio à oposição do Talibã – desde os anos 90. Eu me pergunto se há alguma – vai haver alguma conversa sobre o fornecimento de ajuda humanitária ou talvez até mesmo apoio para a oposição em Panjshir na reunião de amanhã?

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2:  Comentando primeiro sobre a UE, esperamos ter a reunião em Pittsburgh na próxima semana. Eu faria uma observação mais ampla aqui, que é lembrar que o Conselho de Comércio e Tecnologia foi projetado para fazer muitas coisas: obviamente coordenar posições globais sobre comércio e tecnologia e manter o espaço tecnológico aberto para democracia e liberdade, além de trabalhar contra o abuso do espaço tecnológico por parte das autocracias; mas, igualmente importante, o Conselho de Comércio e Tecnologia é uma forma de ancorar as relações EUA-UE com mais firmeza na Ásia Pacífico e falar sobre algumas das preocupações comerciais que temos – todos nós – com a forma como a China faz negócios, nossas preocupações sobre a abordagem da China em relação à tecnologia etc.

Então, eu diria que, para os países da UE que esperamos envolver mais profundamente em nossa estratégia para a Ásia Pacífico, o Conselho de Comércio e Tecnologia é essencial para isso. E saudamos muito a liderança que a França tem tradicionalmente desempenhado na Ásia Pacífico e saudamos este veículo, não apenas no lado bilateral, mas agora no lado multilateral com a UE, para falar sobre todas essas questões e fortalecer a conexão entre o que estamos tentando fazer no espaço transatlântico para proteger a liberdade e a abertura, abertura baseada em regras, e o que estamos tentando fazer no Indo-Pacífico também.

Com relação ao C5, você sabe que – obviamente com o Afeganistão – três dos países do C5 fazem fronteira direta com o Afeganistão. Todos eles tiveram muitos assuntos em que pensar e muitas preocupações em relação à migração, em relação ao controle do terrorismo, em relação às suas fronteiras. Vários deles têm sido úteis para nós. Acho que, na verdade, cada um deles tem sido útil para nós, pois tentamos ajudar os cidadãos americanos, os afegãos em situação de risco e os residentes permanentes a saírem do país, seja diretamente ou com reabastecimento etc. Portanto, a vizinhança mudou drasticamente, e é um momento realmente importante para combinarmos pontos de vista com esses países sobre como fortalecer a segurança, como fortalecer nossa abordagem conjunta para as questões humanitárias e ouvir suas opiniões sobre como está a vizinhança e o que os preocupa daqui para frente.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:   Vamos para a linha de Nike Ching.

PERGUNTA:  Obrigada. Consegue me ouvir?

OPERATOR:  Sua linha está aberta.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Sim, pode falar.

PERGUNTA:  Sim, obrigada. [Funcionária sênior do Departamento de Estado 2], posso perguntar sobre a Coreia do Norte? O que os EUA procuram na trilateral com o Japão e a Coréia, especialmente depois que imagens de satélite recentes mostraram que a Coréia do Norte está expandindo uma usina de enriquecimento de urânio em seu principal complexo nuclear de Yongbyon? E, separadamente, há uma reação dos EUA aos comentários do líder chinês Xi Jinping, onde ele disse que é necessário buscar o diálogo sobre o confronto? Qual a probabilidade de um encontro entre o presidente Biden e Xi Jinping às margens da cúpula do G20? Existe um obstáculo para as conversas? Muito obrigada.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2:  Bem, então, acho que eu diria que a trilateral acontece na hora certa, dados os testes de mísseis que vimos na semana passada, é uma boa oportunidade para trocar opiniões depois de tudo. Eu diria de forma mais ampla que a cadência dessas reuniões trilaterais está aumentando, e isso provou ser um mecanismo muito eficaz para compartilhar pontos de vista, combinar posições, tanto no que diz respeito à RPDC, mas também no que diz respeito ao Indo-Pacífico e à China. Então, acho que a reunião amanhã será útil. E, obviamente, não tenho nada a anunciar sobre uma possível reunião entre o Presidente Xi e o Presidente Biden.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:  Vamos a uma última pergunta de Barbara Usher. Vejamos se a linha dela funciona agora.

PERGUNTA:  Pode me ouvir?

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:   Podemos. Pode falar.

PERGUNTA:  Ah, fantástico. Apenas buscando esclarecimento sobre a questão das credenciais do Talibã, [Alto funcionário do Departamento de Estado], vocês disseram que o comitê levará algum tempo para deliberar. A senhora acha que não terão uma decisão até o fim dessa semana – desta Assembleia Geral da ONU, em outras palavras, o Talibã não terá oportunidade de falar de qualquer maneira?

E uma outra pergunta com relação à reação da UE ao – à raiva da França sobre o acordo com a Austrália, vocês têm alguma reação aos comentários feitos aqui pelo Borrell, dizendo que os EUA se solidarizaram com a França e sentiram que era algo que afetou a todos os europeus, e Charles Michel dizendo que havia uma clara falta de transparência e lealdade – em outras palavras, que isso já foi além da França? Obrigada.

FUNCIONÁRIA SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2:  Só para lembrar que o Comitê de Credenciais geralmente leva algum tempo. Não vou prever quanto tempo vai demorar desta vez. Eu observaria que a Assembleia Geral mais ampla dura cerca de três meses. A Semana de Alto Nível, obviamente, é apenas esta semana, e não espero que esse problema seja resolvido na Semana de Alto Nível. Mas – fiquem de olho.

Acho que em todas as nossas conversas hoje com a UE, obviamente, temos escutado sobre as preocupações de seus estados membros, o que é absolutamente natural. Mas também temos escutado sobre o interesse deles em continuar, aprofundar e ampliar o diálogo que iniciamos intensamente com eles agora sobre a China e sobre a colaboração que podemos ter com todos os estados membros no que diz respeito à região do Indo-Pacífico. Então, acho que há um trabalho muito bom para fazermos juntos e gostaríamos de seguir em frente.

FUNCIONÁRIO SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1:  Excelente. Isso conclui a ligação desta noite. Apenas para seu planejamento, queremos fazer uma ligação semelhante amanhã. Enviaremos informações sobre isso amanhã durante o dia.

Como um lembrete, as declarações desta coletiva devem ser atribuíveis a altos funcionários do Departamento de Estado. E falaremos com vocês amanhã. Muito obrigado.


Veja o conteúdo original: https://www.state.gov/briefing-with-senior-state-department-officials-on-u-s-engagements-at-the-united-nations-and-on-the-margins-of-high-level-week/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future