Missão dos Estados Unidos nas Nações Unidas
Gabinete de Imprensa e Diplomacia Pública
Tal como entregue
23 de Setembro de 2022

Boa tarde. E obrigada a todos por estarem presentes hoje. Obrigada ao Secretário-Geral, UNICEF, OMS pela vossa liderança neste assunto.

De tantas formas, os mais de dois anos desde que o COVID-19 entrou nas nossas vidas foram alguns dos mais difíceis que conhecemos. Acho que todos nos conseguimos lembrar de onde estávamos quando percebemos o quanto este vírus mudaria tudo. Foram tempos assustadores.

Desde então, milhões – milhões – perderam as suas vidas e meios de subsistência. Muitos de nós perdemos pessoalmente entes queridos e passámos por períodos devastadores de isolamento. E as réplicas do COVID-19 – incluindo deslocamentos económicos, uma crise global de insegurança alimentar e interrupções na cadeia de suprimentos – foram profundas, para dizer o mínimo.

Mas, de muitas maneiras, estes tempos difíceis também nos mostraram o melhor da engenhosidade científica, de nós mesmos e da humanidade. Os profissionais de saúde e os trabalhadores da linha de frente intensificaram-se de maneira histórica. A comunidade científica foi capaz de desenvolver, testar e começar a lançar vacinas eficazes em menos de um ano. E juntos, trabalhámos para distribuir estas vacinas em todo o mundo.

Da nossa parte, os Estados Unidos orgulham-se de liderar a resposta global ao COVID-19. Fornecemos, em parceria com a COVAX e bilateralmente, mais de 620 milhões de doses de vacinas seguras e eficazes para 116 países, incluindo milhões de doses pediátricas. E comprometemo-nos a doar 1,2 mil milhões de doses no total – sem reservas. Estes esforços salvaram vidas.

Mas todos sabemos que ainda há muito trabalho a ser feito – especialmente quando se trata de expandir o acesso equitativo a vacinas, testes e tratamentos. E é por isso que estamos aqui hoje. Porque sabemos que muitos países de baixa e média renda ainda estão muito atrasados nas suas taxas de vacinação, testes e tratamento. Portanto, devemos lidar com problemas difíceis de fornecimento da cadeia de frio, lidar com a hesitação em vacinas e expandir o apoio à distribuição e à produção local.

É exactamente por isso que lançámos o programa Global VAX. Através desta iniciativa, fornecemos recursos para mais de 70 países e estamos a aumentar o apoio aos países em desenvolvimento na África Subsahariana para reduzir as barreiras de vacinação e tratamento.

E é por isso que, hoje cedo, tive o orgulho de apresentar três novas iniciativas nas quais os Estados Unidos estão a trabalhar para garantir que um fornecimento mais equitativo de vacinas esteja disponível em todo o mundo. Estamos a lançar programas piloto de “testar para tratar” em dez países para ajudar as pessoas a serem testadas para COVID-19 quando tiverem sintomas e receberem medicamentos antivirais se forem positivos. Estes programas também ajudarão as pessoas a evitar doenças graves, reduzir hospitalizações e salvar vidas. Também estamos a melhorar o acesso ao oxigénio medicinal. E estamos a estabelecer um grupo de implementação para melhorar o acesso global a suprimentos e serviços médicos através de um mecanismo global de coordenação.

A nossa esperança é tornar as cadeias de suprimentos mais resilientes, eficientes e equitativas. Como vimos ao longo desta pandemia, o acesso a estes suprimentos essenciais pode significar a diferença entre a vida e a morte. A conclusão é esta: precisamos garantir que estamos a alcançar os mais vulneráveis do mundo. E isso inclui pessoas que vivem sob conflitos brutais.

Organizações de ajuda humanitária enfrentam barreiras consistentemente ao tentar fornecer assistência humanitária, incluindo vacinas e tratamentos para a COVID-19, em zonas de conflito. Isso é simplesmente inaceitável – não devemos tolerá-lo. Os trabalhadores humanitários estão preparados para prestar assistência crítica a algumas das populações mais difíceis de alcançar. E cabe a nós – cabe a nós – apoiá-los de todas as maneiras que pudermos.

Colegas, se formos unidos e mobilizarmos os nossos recursos e conhecimentos colectivos, estou convencida de que podemos avançar em direcção a um futuro mais brilhante e saudável para todos. Podemos fazer isso, e devemos. Vamos trabalhar juntos, em escala e com urgência, para salvar vidas.

Muito obrigada.


Ver o conteúdo original: https://usun.usmission.gov/remarks-by-ambassador-linda-thomas-greenfield-at-a-un-high-level-event-on-the-covid-19-pandemic-and-equitable-access-to-vaccines-tests-and-treatments/

Esta tradução é oferecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future