A Casa Branca
21 de setembro de 2022
Park Avenue 583
Nova Iorque, Nova Iorque
17h03 EDT

O PRESIDENTE: Bem, amigos, companheiros líderes – Bill, obrigado pela apresentação – sabem, eu quero agradecer a todos vós por estarem aqui – não porque estão aqui porque nós os convidamos; estariam aqui de qualquer forma. E, Bill, obrigado pela sua incrível liderança e compromisso com a saúde global.

E a todos os participantes desta conferência – sabem, a todos vós – eu quero agradecer. Obrigado por lutarem pelo que importa. Trata-se de salvar vidas – não há ambiguidade aqui – trabalhar com parceiros para garantir que todas as comunidades sejam saudáveis e fortes – pelo menos tenham uma hipótese de serem saudáveis e fortes; que as pessoas em todos os lugares possam viver com dignidade.

É difícil re—manter a sua dignidade quando olhamos para o nosso filho e vemos que ele está doente ou doente com uma doença que não podemos controlar. É difícil. Isso choca-nos. E isso priva-nos da nossa dignidade.

É por isso que os Estados Unidos têm orgulho de ser um membro fundador do Fundo Global.

E nos últimos 20 anos, através do nosso trabalho conjunto, estima-se que o Fundo Global tenha salvado, como ouviram antes, 50 milhões de vidas e reduziu – reduziu drasticamente a taxa de mortalidade por VIH, tuberculose e malária nos países onde está a atuar. (Pigarreia.) Com licença.

Hoje, assistimos a alguns compromissos históricos para continuar a construir este recorde incrível: quase 1,6 mil milhões – acho que acertei – euros da França; 1,3 mil milhões da Alemanha; 1 bilião de dólares do Japão; 1,2 mil milhões de dólares do Canadá; 750 [715] milhões de euros da Comissão Europeia; e aumentos significativos do setor privado, Catar, República da Coreia e de nações que recebem doações do Fundo Global, como o Malawi e Níger, também contribuíram.

E como me comprometi convosco, os Estados Unidos doarão US$ 1 bilião para cada US$ 2 mil milhões comprometidos pelo resto do mundo.

Então isso significa que vamos trabalhar – (aplausos) – isso significa que vamos trabalhar com os nossos parceiros no Congresso para contribuir com outros US$ 6 mil milhões para o Fundo Global – (aplausos) – trazendo – aumentando o compromisso global geral, como de hoje, para US$ 14 mil milhões.

Com estas contribuições incríveis, conseguimos, através do nosso compromisso mútuo e contínuo, entregar uma das maiores angariações de fundos em saúde global – angariações de fundos na história da saúde global. E espera-se que esses biliões forneçam um retorno sobre o investimento de 31 vezes – retorno sobre o investimento de 31 vezes.

E, noutras palavras, para cada dólar para combater estas doenças, esperamos US$ 31 em ganhos em saúde e retornos económicos, o que também avança o nosso progresso em direção ao objetivo da Agenda de Desenvolvimento Sustentável.

Então, vamos nos desafiar a continuar a fazer ainda mais.

É um investimento que salvará mais 20 milhões de vidas, reduzirá a mortalidade por estas doenças em mais 64% nos próximos quatro anos.

Apoiará os profissionais de saúde da linha de frente, melhorará – e, a propósito, eles merecem agradecimentos especiais, especiais e especiais pelo que fizeram, especialmente quando era muito mais perigoso do que é hoje. (Aplausos.)

Melhorará as capacidades de vigilância; construirá cadeias de abastecimento de saúde mais fortes e resilientes; e aumentará as inovações para alcançar os mais necessitados. E vai ajudar a prevenir e responder à violência de género e promover os direitos sexuais e reprodutivos e os resultados de saúde para pessoas em todo o mundo.

Sabem, enquanto nós – enquanto trabalhamos juntos, os Estados Unidos também continuarão a avançar na nossa liderança por meio dos nossos próprios investimentos em saúde no PEPFAR, a Iniciativa do Presidente contra a Malária e esforços para combater a TB – TB.

Estes investimentos, trabalhando em conjunto e ampliando ainda mais o trabalho do Fundo Global, ajudaram a reverter o VIH/SIDA e a desenvolver a primeira vacina do mundo contra a malária.

Aqui nos Estados Unidos, onde quase 1,2 milhões de pessoas vivem com VIH, estamos a implementar a nossa nova Estratégia Nacional de VIH/SIDA para acelerar e fortalecer a nossa resposta nacional à epidemia de VIH. Estamos a colocar a equidade no centro dos nossos esforços.

Temos que garantir que todos – não importa quem sejam, quem amem, de onde vêm – possam ter acesso aos cuidados e ao tratamento de que precisam, ponto final. (Aplausos.) E, pessoal – e que sejam tratados com a dignidade que merecem.

Todos devem poder levar uma vida saudável, produtiva e gratificante. Esse é o nosso objetivo.

Então, obrigado a todos pelo avanço, especialmente num ambiente económico global desafiador.

E peço que continuem assim. Vamos terminar esta luta juntos. Agora é o momento de acelerar os nossos esforços para reduzir as desigualdades na saúde e abordar as barreiras ao acesso, incluindo as barreiras de género e direitos humanos; construir sistemas de saúde mais inclusivos para não deixar ninguém para trás; acabar definitivamente com a SIDA, a tuberculose e a malária.

Vamos demonstrar o nosso poder coletivo para enfrentar os desafios que mais importam na vida das pessoas e proporcionar progresso. Temos muito – muito a fazer, então vamos trabalhar. E obrigado a todos por tudo que estão a fazer.

Que Deus vos abençoe. (Aplausos.)

17h09 EDT


Ver o conteúdo original: https://www.whitehouse.gov/briefing-room/speeches-remarks/2022/09/21/remarks-by-president-biden-at-the-global-funds-seventh-replenishment-conference/

Esta tradução é oferecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future