Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete do Porta-Voz
Pronunciamento do Secretário de Estado, Antony J. Blinken
23 de março de 2022

Desde o início de sua guerra premeditada, injusta e não provocada, o presidente russo, Vladimir Putin, desencadeou uma violência implacável que causou morte e destruição em toda a Ucrânia. Vimos vários relatos confiáveis ​​de ataques indiscriminados e ataques deliberadamente direcionados a civis, assim como outras atrocidades. As forças militares da Rússia destruíram prédios de apartamentos, escolas, hospitais, infraestrutura crítica, veículos civis, shopping centers e ambulâncias, deixando milhares de civis inocentes mortos ou feridos. Muitos dos locais atingidos pelas forças da Rússia foram claramente identificados como sendo usados ​​por civis. Isso inclui a maternidade de Mariupol, como o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos observou especificamente em um relatório de 11 de março. Também inclui um ataque que atingiu um teatro de Mariupol, claramente marcado com a palavra “дети” – “crianças”, em russo – em letras enormes e visíveis do céu. As forças de Putin usaram essas mesmas táticas em Grozny, na Chechênia, e Aleppo, na Síria, onde intensificaram bombardeios sobre cidades para quebrar o espírito do povo. A tentativa deles de fazer o mesmo na Ucrânia chocou o mundo e, como o presidente Zelenskyy atestou sensatamente: “banhou o povo da Ucrânia com sangue e lágrimas”.

A cada dia que as forças da Rússia continuam seus ataques brutais, o número de civis inocentes mortos e feridos, incluindo mulheres e crianças, aumenta. Em 22 de março, oficiais da sitiada Mariupol disseram que mais de 2.400 civis haviam sido mortos somente naquela cidade. Sem incluir a devastação de Mariupol, as Nações Unidas confirmaram oficialmente mais de 2.500 vítimas civis, incluindo mortos e feridos, e enfatiza que o número real é provavelmente maior.

Na semana passada, repeti a declaração do presidente Biden, com base nos inúmeros relatos e imagens de destruição e sofrimento que todos vimos, de que crimes de guerra foram cometidos pelas forças de Putin na Ucrânia. Observei então que o ataque deliberado a civis é um crime de guerra. Enfatizei que o Departamento de Estado e outros especialistas do governo americano estavam documentando e avaliando potenciais crimes de guerra na Ucrânia.

Hoje, posso anunciar que, com base nas informações atualmente disponíveis, o governo dos EUA avalia que membros das forças militares russas cometeram crimes de guerra na Ucrânia.

Nossa avaliação é baseada em uma análise cuidadosa das informações disponíveis de fontes públicas e de inteligência. Como acontece com qualquer crime alegado, um tribunal com jurisdição sobre o crime é responsável por determinar a culpa criminal em casos específicos. O governo dos EUA continuará rastreando relatos de crimes de guerra e compartilhará as informações que coletamos com aliados, parceiros e instituições e organizações internacionais, conforme apropriado. Estamos comprometidos em buscar a responsabilização usando todas as ferramentas disponíveis, incluindo processos criminais.


Veja o conteúdo original: https://www.state.gov/war-crimes-by-russias-forces-in-ukraine/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future