Departamento de Estado dos EUA
Comunicado de Imprensa
Ned Price, Porta-Voz do Departamento
19 de Agosto de 2021

Hoje, o Departamento de Estado dos EUA anuncia uma recompensa de até cinco milhões de dólares americanos por informações que levem à prisão e / ou condenação do cidadão guineense Antonio Indjai. Indjai é o ex-chefe das Forças Armadas da Guiné-Bissau e está sujeito a uma proibição de viajar pelas Nações Unidas desde Maio de 2012, em resultado da sua participação no golpe de Estado de Abril de 2012 na Guiné-Bissau. Indjai liderou uma organização criminosa que participou activamente do tráfico de drogas na Guiné-Bissau e na região durante muitos anos, mesmo enquanto chefiava as Forças Armadas da Guiné-Bissau. Indjai era visto como uma das figuras desestabilizadoras mais poderosas da Guiné-Bissau, operando livremente em toda a África Ocidental, usando receitas ilegais para corromper e desestabilizar outros governos estrangeiros e minar o Estado de Direito em toda a região.

De acordo com uma acusação de Janeiro de 2013, no verão de 2012, fontes confidenciais da DEA (Drug Enforcement Administration, agȇncia norte americana anti-narcotrafico) iniciaram contactos  com Indjai e associados na Guiné-Bissau. Entre Junho e Novembro de 2012, Indjai concordou em receber e armazenar várias toneladas de cocaína supostamente pertencentes às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), que ele entendeu que seriam vendidas em benefício das FARC. Indjai e os seus associados concordaram que uma parte da cocaína recebida seria usada para pagar funcionários do Governo da Guiné-Bissau. Além disso, Indjai e os seus associados concordaram em comprar armas, incluindo mísseis antiaéreos, para as FARC usando o dinheiro das drogas e estabeleceram uma empresa de fachada na Guiné-Bissau para concluir as transacções ilícitas de armas, desestabilizando ainda mais a África Ocidental e a América Latina.

Indjai foi acusado de conspiração de narcoterrorismo, conspiração para importar cocaína, conspiração para fornecer apoio material a uma organização terrorista estrangeira e conspiração para adquirir e transferir mísseis antiaéreos.

Esta recompensa é oferecida pelo Programa de Recompensas de Narcóticos do Departamento de Estado (NRP). Mais de 75 criminosos transnacionais e grandes traficantes de drogas foram levados à justiça sob o NRP e o Programa de Recompensas do Crime Organizado Transnacional (TOCRP) desde o início do NRP em 1986. O Departamento pagou mais de 130 milhões de dólares americanos em recompensas por informações que levaram a apreensões. O Gabinete de Assuntos Internacionais de Entorpecentes e Policiais (INL) gere o NRP em estreita coordenação com a DEA, o FBI (Federal Bureau of Investigation, serviço federal de investigação) as Investigações de Segurança Interna da Imigração e Alfândega dos EUA (ICE / HSI) e outras agências governamentais dos EUA.

Para obter mais informações sobre a pessoa listada acima e o TOCRP e NRP, consulte o Programa de Recompensas do INL AntiCrime do Departamento de Estado  ou entre em contato com INL-PAPD@state.gov.


Veja o conteúdo original: https://www.state.gov/department-of-state-offers-reward-for-information-to-bring-guinea-bissau-narcotics-trafficker-to-justice/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future