A Casa Branca
22 de setembro de 2021

Hoje, o Presidente Biden convocou chefes de estado e líderes de organizações internacionais, do setor privado, de organizações filantrópicas, de organizações não governamentais e outros parceiros para a Cúpula Global sobre COVID-19: Acabando com a Pandemia e Reconstruindo Melhor, uma cúpula virtual em paralelo à Assembleia Geral da ONU.

O Presidente incentivou os líderes a aumentarem a ambição global para acabar com a pandemia de COVID-19 em 2022 e reconstruir uma segurança melhor de saúde global para prevenir e se preparar para futuras pandemias. Como as variantes emergentes atrasaram os esforços de resposta global, o Presidente Biden desafiou o mundo a avançar esta agenda com uma urgência nova e mais focada e a cooperar para avançar rapidamente a nossa resposta coletiva a esta crise para garantir nosso futuro.

Vencendo a COVID-19: Medindo o Progresso, Ações Coletiva, Metas Compartilhadas

Ao longo da Cúpula, os líderes mundiais responderam ao apelo do Presidente e abraçaram um conjunto de metas globais ambiciosas em quatro tópicos:

  • Vacinando o Mundo, aumentando o acesso equitativo às vacinas e aplicando as vacinas nos braços;
  • Salvando Vidas Agora, resolvendo a crise de oxigênio e disponibilizando amplamente testes, equipamentos terapêuticos e de proteção individual (EPI);
  • Reconstruindo Melhor, preparando e estabelecendo em todos os países um mecanismo de financiamento de segurança da saúde sustentável e demonstrando liderança política para ameaças emergentes a fim de se preparar para futuras pandemias e preveni-las; e
  • Responsabilizando o Mundo, alinhando-se em torno de metas globais comuns, acompanhando o progresso e apoiando uns aos outros no cumprimento de nossos compromissos.

O conjunto completo de objetivos está disponível aqui.

Novos Compromissos dos EUA para acabar com a Pandemia e Reconstruir Melhor

O Presidente Biden priorizou o fim da pandemia de COVID-19 desde o primeiro dia de seu governo, quando lançou a Estratégia Nacional de Preparação e Resposta para a Pandemia de COVID-19 e tomou medidas críticas para elevar a prontidão e a resposta à pandemia como uma das principais prioridades da segurança nacional. Os Estados Unidos doaram mais vacinas do que todos os outros países combinados e, no início deste ano, lançaram uma abrangente Estrutura Global de Resposta e Recuperação à COVID-19 dos EUA.

Os Estados Unidos estão liderando o caminho para o fim da pandemia. Durante seu pronunciamento, o Presidente chamou o mundo à ação e anunciou vários compromissos novos e ousados dos EUA para acelerar o progresso em direção a essas metas, incluindo:

Vacinando o Mundo

  • Doando Meio Bilhão Adicionais de Vacinas Pfizer contra a COVID-19 para o mundo: Hoje, o Presidente Biden anunciará que os EUA estão doando meio bilhão adicionais de vacinas Pfizer-BioNTech COVID-19 para países de renda baixa e média-baixa em todo o mundo, com envio a partir de janeiro de 2022. Esse compromisso monumental eleva o número total de vacinas doadas pelos EUA a mais de 1,1 bilhão de doses, incluindo as 500 milhões de doses da Pfizer-BioNTech que os EUA já compraram em junho e começaram a embarcar em agosto. Com o anúncio de hoje, os EUA estão doando três doses ao mundo para cada dose administrada em casa. Até o momento, os EUA já enviaram quase 160 milhões de doses para 100 países – uma doação de vacinas maior do que todos os outros países combinados – de graça e sem compromisso, com milhões de envios a mais a cada dia.
  • Aplicando as Vacinas nos Braços: A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), também dos Estados Unidos, planejam fornecer US$ 370 milhões adicionais para a preparação global de vacinas e capacidade de levar vacinas onde são mais necessárias. A Corporação Financeira dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (DFC) fornecerá mais de US$ 383 milhões em seguro contra riscos políticos para a Aliança Gavi para facilitar o envio de vacinas para nove países em três continentes, acelerando a entrega de vacinas para as regiões mais necessitadas.
  • Expandindo a Produção Local: A DFC, com apoio de nossos parceiros and Corporação Financeira Internacional, investiu em várias instalações de fabricação de vacinas na África e na Índia, que, em conjunto, terão capacidade para produzir 2 bilhões de doses da vacina contra a COVID-19 para países em desenvolvimento até 2022.
  • Expandindo a Capacidade Regional: Os Estados Unidos estão incentivando países, fabricantes de vacinas e outros parceiros para expandir a produção global e regional de vacinas de mRNA, vetor viral e/ou subunidade de proteína contra COVID-19 para países de renda baixa e média-baixa e para aumentar a transparência dos dados sobre produção, disponibilidade e projeções para fabricação de doses.
  • Aumentando a Transparência das Doses Distribuídas: Os Estados Unidos incentivam os fabricantes de vacinas a disponibilizar publicamente informações sobre o fornecimento e distribuição de vacinas, para que os países e parceiros globais possam planejar como preencher as lacunas e priorizar as entregas de vacinas onde são mais urgentes.
  • Suporte para uma isenção de TRIPS COVID-19: Tempos extraordinários exigem medidas extraordinárias. Os Estados Unidos apóiam a isenção de proteções de propriedade intelectual no Acordo TRIPS da OMC para vacinas contra a COVID-19 a serviço para acabar com essa pandemia.

Salvando Vidas Agora

Reduzindo Doenças e Mortes, e Respondendo Rapidamente: A USAID e o CDC estão fornecendo quase US$ 1,4 bilhão para reduzir a morbidade e mortalidade da COVID-19, mitigar a transmissão e fortalecer os sistemas de saúde, inclusive para prevenir, detectar e responder às ameaças da pandemia. Desse total, a USAID está fornecendo US$ 100 milhões para priorizar intervenções de resposta rápida.

  • Disponibilização de Oxigênio: a USAID planeja fornecer US$ 50 milhões para expandir o acesso ao oxigênio, com foco no oxigênio líquido a granel.
  • Aprimoramento dos Testes: o CDC fornecerá US$ 56 milhões em suporte aos testes da COVID-19.
  • Fortalecimento dos sistemas de saúde para combater a COVID-19: O Plano de Emergência do Presidente dos EUA para o Alívio da AIDS (PEPFAR) fornecerá US$ 250 milhões para apoiar os esforços de resposta, alavancando seus investimentos existentes em sistemas de saúde, infraestrutura e força de trabalho para apoiar triagem, testes, PPE e preparação e administração de vacinas, além de combater o HIV/AIDS.
  • Aprimoramento do Fundo Global: Os EUA estão fornecendo US$ 3,5 bilhões ao Fundo Global para seu mecanismo de resposta à pandemia da COVID-19.
  • Aperfeiçoamento da detecção, do monitoramento e da mitigação de novas variantes da COVID-19: Os Estados Unidos criarão o Centro de Previsão e Análise de Surtos (Center for Forecasting and Outbreak Analytics) para apoiar recursos aprimorados de rastreamento e análise de variantes globais, inclusive por meio da cooperação com aqueles que desenvolvem o conceito de radar global de pandemia, o Centro Global para Pandemia e Inteligência Epidêmica da Organização Mundial da Saúde (OMS) e centros adicionais por meio dessa rede.

Reconstruindo Melhor

  • Financiamento da Segurança da Saúde Global: Os Estados Unidos incentivam os países a elaborarem e estabelecerem um Fundo Intermediário Financeiro de Segurança Sanitária Global (FIF), conforme recomendado pelo Painel Independente de Alto Nível da Presidência do G20 e outros especialistas internacionais. Trabalhando com o Congresso, vamos comprometer US$ 250 milhões agora em financiamento inicial para um FIF para combater esta pandemia, que também ajudará a prevenir a próxima. Também solicitamos um adicional de US$ 850 milhões para os FIF do Congresso. A ação neste ano nos ajudará a fortalecer ainda mais a capacidade para que todos os países, em todos os lugares, sejam capazes de prevenir, detectar e responder a ameaças biológicas e mitigar surtos em suas comunidades. Este compromisso se baseará, e não substituirá, os US$ 630 milhões em financiamento para a segurança da saúde e o apoio da Agenda Global para a Segurança da Saúde no Ano Fiscal de 2021.
  • Catalisação da liderança política e atenção para crises biológicas, inclusive estabelecendo uma entidade de líder, como o Conselho de Ameaças à Saúde Global (GHTC) em 2021.
  • Direitos Especiais de Saque (SDRs): Os Estados Unidos apoiaram fortemente a nova alocação de US$ 650 bilhões em SDRs para ajudar os países a aumentar as reservas e financiar gastos essenciais para proteger a saúde pública e minimizar as dificuldades econômicas. Para ampliar os benefícios da alocação, apelamos aos países que podem pagar para canalizar alguns de seus SDRs para países pobres e vulneráveis através do Fundo Monetário Internacional para a Redução da Pobreza e o Crescimento e através de um novo Fundo de Resiliência e Sustentabilidade (RST). Incentivamos outros membros do Fundo Monetário Internacional a endossar o estabelecimento de um RST com foco em ajudar os países a buscar reformas estruturais de longo prazo para melhorar a preparação e a prevenção de pandemias e facilitar os investimentos em uma economia verde.
  • Reunião de Líderes de Saúde e Finanças: Os Estados Unidos apóiam a convocação da Presidência do G20 para estabelecer um conselho ministerial de saúde e finanças para fortalecer a coordenação entre os formuladores de políticas econômicas e de saúde.

Contabilização da Ação: Todos os Países e Organizações devem fazer sua parte

Todos os países e organizações públicas e privadas devem se comprometer com ações urgentes neste outono. Os Estados Unidos liderarão, convocando outros para que, coletivamente, tomemos as medidas necessárias para acabar com a pandemia. Isso é necessário para salvar vidas agora e para que todos nós – incluindo o setor privado – façamos um pagamento inicial agora para a resiliência de nosso futuro econômico. No futuro, os Estados Unidos defenderão a responsabilidade, em parceria com mecanismos multilaterais. O Presidente enfatizou que um elemento crítico para o acabar com a pandemia e reconstruir um mundo melhor será responsabilizar a nós mesmos e ao mundo, fazendo esses investimentos hoje. Para esse fim, ele anunciou um novo esforço para medir o progresso em relação às nossas metas comuns e manter o ímpeto global para dar um fim à pandemia.

O Secretário de Estado convocará ministros das Relações Exteriores no fim do ano para atualizar nosso progresso coletivo e manter a urgência global de cruzar a linha de chegada e acabar com a pandemia em 2022.

Os Estados Unidos defenderão a responsabilização para que o mundo possa medir nosso progresso e cumprir nossos compromissos.

Especificamente:

  • Os Estados Unidos trabalharão com uma série de parceiros importantes no rastreamento de resultados, incluindo governos parceiros, o Secretário-Geral das Nações Unidas, a Força-Tarefa de Líderes Multilaterais sobre Vacinas, Terapias e Diagnósticos de COVID-19 para Países em Desenvolvimento estabelecida pelo Fundo Monetário Internacional, o Banco Mundial, a Organização Mundial do Comércio (OMC), a OMS, o setor privado e a comunidade filantrópica.
  • No início de outubro de 2021, reuniremos a Força-Tarefa, membros do setor privado, a comunidade filantrópica e outros parceiros-chave para analisar dados que nos permitirão avaliar nosso progresso coletivo antes da Cúpula do G20, em outros eventos e reuniões internacionais, e regularmente.
  • Trabalharemos com governos, instituições financeiras internacionais e bancos multilaterais de desenvolvimento, empresas, fundações e defensores para rastrear e relatar com transparência o progresso em direção ao fim da pandemia.

Veja o conteúdo original: https://www.whitehouse.gov/briefing-room/statements-releases/2021/09/22/fact-sheet-president-bidens-global-covid-19-summit-ending-the-pandemic-and-building-back-better/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future