Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gayle E. Smith, Coordenadora do Departamento de Estado para Resposta global e Segurança Sanitária em Relação à Covid-19, e David Marchick, Director de Operações da Corporação Financeira dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional.
Conferȇncia de Imprensa Especial via Telefone
1 de Julho de 2021

Moderadora: Boa tarde a todos do Centro de Mídia Regional da África do Departamento de Estado dos EUA. Gostaria de dar as boas-vindas aos nossos participantes de todo o continente e agradecer a todos vocês por se juntarem a nós nesta conversa. Hoje, temos o prazer de contar com a presença de Gayle E. Smith, Coordenadora do Departamento de Estado para Resposta global e Segurança Sanitária em Relação à Covid-19, e David Marchick, Diretor de Operações da Corporação Financeira dos EUA para o Desenvolvimento Internacional. A Sra. Smith e o Sr. Marchick falarão sobre o apoio dos Estados Unidos para a fabricação e produção da vacina contra a Covid-19 no continente africano.

Iniciaremos a teleconferência de hoje com o pronunciamento de abertura da Sra. Smith e do Sr. Marchick e, em seguida, passaremos às perguntas dos jornalistas. Tentaremos responder o maior número possível durante a coletiva.

Para participar da conversa no Twitter, por favor use a hashtag #AFHubPress e siga-nos no twitter @AfricaMediaHub.

Gostaria de lembrar que a ligação de hoje está liberada para publicação (on the record) e, com isso, passo a palavra para Gayle E. Smith, Coordenadora do Departamento de Estado para Resposta global e Segurança Sanitária em Relação à Covid-19. Sra. Smith, suas observações iniciais.

Sra. Smith: Muito obrigada e boa tarde a todos, e obrigada por todo o excelente trabalho que estão a fazer para cobrir esta história tão importante e vital. Permitam-me fornecer algumas informações básicas sobre nossa estratégia na resposta à pandemia de Covid e, em particular, às vacinas. Os Estados Unidos estão a preparar uma resposta abrangente em todos os campos, desde o lado da vacina até os impactos humanitários e econômicos de longa data. Isso envolve várias agências e departamentos de todo o Governo Federal.

Por razões óbvias, as vacinas e a urgência na entrega de vacinas estão no topo de nossa agenda agora. Nessa frente, estamos fazendo várias coisas. Em primeiro lugar, somos o maior doador da COVAX, a plataforma internacional de vacinas que está distribuindo doses em todo o mundo. Em segundo lugar, o Presidente Biden anunciou que estamos a compartilhar 80 milhões de doses de vacinas de nosso próprio suprimento e compartilharemos mais. Essas vacinas estão agora em processo de entrega em vários países e continuarão a ser distribuídas nos próximos dias e semanas. O presidente também anunciou pouco antes da cúpula do G7 que os Estados Unidos estão a comprar e doarão 500 milhões de doses da vacina Pfizer.

Mesmo enquanto fazemos essas coisas, estamos bastante preocupados com a disponibilidade de vacinas e queremos fazer o possível para aumentar esse fornecimento para que o maior número possível de países possa ser coberto o mais rapidamente possível. Uma parte disso é estimular os principais produtores a aumentarem sua produção e uma segunda parte, muito vital, sobre a qual queremos falar hoje, é fazer o possível para aumentar a produção local para que haja mais disponibilidade em mais lugares.

Para isso, gostaria de passar a palavra ao meu colega, David Marchick, para explicar um anúncio emocionante e muito importante. David?

Sr. Marchick: Óptimo. Muito obrigado, Gayle, e obrigado a todos por participarem. E, novamente, agradeço aos repórteres por cobrirem este tópico tão importante. Quero dar apenas meus parabéns a Gayle. Ela está a fazer um trabalho fantástico e extraordinário em sua função de Coordenadora da Resposta Global à Pandemia de Covid. Ela está a aconselhar o presidente e o secretário de Estado em todas as nossas questões globais relacionadas a isso, e foi uma honra e um privilégio trabalhar com ela. E Gayle ajudou a arquitectar nossa estratégia de manufatura em todo o mundo nos países em desenvolvimento.

Portanto, tenho o prazer de estar hoje com vocês para compartilhar alguns detalhes sobre o trabalho da Corporação Financeira dos EUA para o Desenvolvimento Internacional, ou DFC, para financiar a fabricação e distribuição de vacinas em todo o mundo e especialmente na África. E esta é uma iniciativa particularmente importante para ajudar a África a desenvolver a fabricação na África para a África.

Então, acho que todos estão cientes da ameaça extraordinária que a Covid-19 representa para as vidas e meios de subsistência na África, com 4,7 milhões de casos confirmados até agora e provalvemente um número muito maior de casos não confirmados. Um dos desafios em África não é produzir o suficiente, mas as cadeias de logística e abastecimento e os recursos limitados para produzir ou obter vacinas. É por isso que hoje estamos a anunciar que nossa agência, a Corporação Financeira para o Desenvolvimento, em cooperação com a Corporação Financeira Internacional (IFC) do Banco Mundial, nossos colegas franceses e nossos colegas alemães – o Banco Alemão de Desenvolvimento e o Banco  Francês de Desenvolvimento, que são denominados DEG e Proparco – fornecerão, juntos, financiamento estável e de longo prazo ao Aspen Pharmacare para melhor capacitá-los a apoiar a resposta à pandemia na África do Sul e, mais importante, em todo o continente.

Então, nosso consórcio de instituições financeiras de desenvolvimento fornecerá um empréstimo directo à Aspen para, entre outras coisas, fortalecer seu balanço patrimonial com financiamento de longo prazo, apoiar a produção de vacinas e expandir suas operações com operações centrais baseadas na África do Sul. Agora, este empréstimo os ajudará a aumentar a capacidade de apoio aos esforços de Aspen para produzir vacinas para o continente neste ano e no próximo ano.

Esta produção ajudará a cumprir a meta da União Africana de alcançar 400 milhões de doses de vacinas de Autorização Regulatória Estreita ou Lista de Uso de Emergência da Organização Mundial de Saúde, incluindo a vacina contra Covid-19 da Johnson & Johnson. E eu diria que nosso trabalho hoje mostra o poder da colaboração com o IFC e com nossos parceiros na França, Alemanha e África. Chega em um momento crítico porque a África tem a menor taxa de vacinação de – de qualquer região, apenas 1 por cento dos 1,1 bilhão de habitantes da África. E este é nosso segundo anúncio sobre fabricação em países em desenvolvimento. Já apoiamos uma empresa na Índia chamada Biological E para ajudá-los a aumentar a capacidade e produzir pelo menos 1 bilhão de doses de vacinas de Covid-19 até o fim do próximo ano, e temos outros projectos em andamento, inclusive na África.

Portanto, esta é uma iniciativa fundamental que permitirá que a Aspen ajude a aumentar as produções, tenha dívidas estáveis de longo prazo e ajude a cumprir a meta do Presidente Biden de acabar com a pandemia. Muito obrigado e será um prazer responder a quaisquer perguntas.


Veja o conteúdo original: https://www.state.gov/digital-press-briefing-on-the-united-states-support-for-covid-19-vaccine-manufacturing-and-production-in-africa/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future