Missão dos Estados Unidos para as Nações Unidas 
Gabinete de Imprensa e Diplomacia Pública 
3 de Agosto de 2023  

Numa demonstração de solidariedade e compromisso, 91 Estados Membros da ONU assinaram um comunicado conjunto liderado pelos Estados Unidos prometendo acções para acabar com o uso de alimentos como arma de guerra.   

Cerca de 345 milhões de pessoas – em 79 países – enfrentam insegurança alimentar aguda, muitas vezes causada ou exacerbada por conflitos armados.   

O comunicado conjunto de hoje nasceu da determinação dos Estados Unidos de mais uma vez usar a sua presidência do Conselho de Segurança da ONU para chamar a atenção para a insegurança alimentar induzida por conflitos.  

“Podemos fornecer ajuda vital àqueles em necessidade urgente”, disse o Secretário de Estado, Antony J. Blinken, durante o debate aberto de alto nível do Conselho de Segurança da ONU sobre fome e insegurança alimentar global induzida por conflitos. “Podemos garantir que as pessoas em todo o mundo sejam alimentadas, agora e nos próximos anos. Se fizermos isso, se construirmos um mundo mais saudável, mais estável, mais pacífico para todos, teremos pelo menos começado a viver à altura da responsabilidade que nos foi confiada, confiada a este Conselho, confiada a esta instituição”.  

A representante dos EUA nas Nações Unidas, Embaixadora Linda Thomas-Greenfield, disse: “ Num mundo abundante em alimentos, ninguém deveria morrer de fome – nunca. Esta é uma questão humanitária, é uma questão moral e é uma questão de segurança. E devemos abordar o factor mais insidioso da fome e da insegurança alimentar: o conflito”. 

SIGNATÁRIOS E TEXTO 


Ver o conteúdo original: https://usun.usmission.gov/ninety-one-countries-sign-u-s-led-joint-communique-condemning-the-use-of-food-as-a-weapon-of-war/  

Esta tradução é oferecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future