Departamento de Estado dos Estados Unidos
Informativo
Gabinete do Porta-Voz
6 de outubro de 2022

O secretário de Estado Blinken liderará a delegação dos Estados Unidos à 52ª Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) em Lima, Peru, em 6 e 7 de outubro. Os delegados se reunirão sob o tema “Juntos Contra a Desigualdade e a Discriminação” para a primeira Assembleia Geral presencial desde 2019. O secretário de Estado Blinken envolverá os líderes regionais em prioridades compartilhadas, incluindo o combate à discriminação e intolerância, salvaguarda da democracia e proteção dos direitos humanos.

A OEA Continua Sendo Um Parceiro Multilateral Vital na Região

  • Como membro da OEA desde sua fundação, em 1948, os Estados Unidos continuam comprometidos em fortalecer a organização e trabalhar com ela. O governo dos EUA está determinado a usar a diplomacia multilateral para resolver problemas regionais e engajar seus vizinhos em temas de preocupação hemisférica. Importante apoiador financeiro da OEA, os Estados Unidos contribuem com mais de 50% do orçamento anual da organização.
  • A Assembleia Geral da OEA representa o órgão decisório mais alto da OEA. Os Estados Unidos sediaram pela última vez a Assembleia Geral da OEA em 2005, em Fort Lauderdale, Flórida, sob o tema “Tornando Realidade os Benefícios da Democracia”.

Objetivos da 52ª Assembleia Geral da OEA

  • O Governo do Peru selecionou o tema da Assembleia Geral — “Juntos Contra a Desigualdade e a Discriminação” — para chamar a atenção para os desafios de nossa região e promover a inclusão social dos povos de nosso hemisfério. Os Estados Unidos continuam acelerando os esforços para enfrentar o racismo e a discriminação, e a participação de nossa Representante Especial para Equidade e Justiça Racial na reunião é um forte sinal de nosso compromisso com essa questão.
  • Os Estados Unidos se juntarão a uma declaração liderada pela Guatemala para pedir à Rússia que encerre sua agressão na Ucrânia. A solidariedade da OEA com a Ucrânia continua crítica, pois a Rússia viola a soberania, a integridade territorial e a independência da Ucrânia.
  • Os Estados Unidos irão aderir a uma resolução liderada pelo Canadá e pelo Chile para responsabilizar o regime da Nicarágua por seus contínuos abusos de direitos humanos.
  • Os Estados Unidos irão aderir a uma resolução liderada pelo Haiti sobre a segurança e a situação política no Haiti. A resolução solicita à Secretária Geral da OEA que restabeleça reuniões regulares de delegações e doadores com ideias semelhantes, aprofunde a cooperação OEA-ONU e solicite ferramentas de cooperação específicas que a OEA possa fornecer ao Haiti.
  • Os Estados Unidos participarão de uma declaração sobre a situação dos direitos humanos na Venezuela.
  • Os Estados Unidos também patrocinarão uma resolução para promover e avançar o diálogo interparlamentar e a cooperação entre legisladores democraticamente eleitos para promover nosso compromisso compartilhado com a democracia e o respeito aos direitos humanos nas Américas.
  • Os Estados Unidos continuarão apoiando as Missões de Observação Eleitoral da OEA como uma das funções mais vitais desta instituição. Valorizamos a experiência e a credibilidade dos observadores da OEA para garantir eleições livres, justas e democráticas em nossa região. Até o momento, os Estados Unidos continuam sendo o maior doador em apoio às Missões de Observação Eleitoral na região.

Veja o conteúdo original: https://www.state.gov/secretary-blinken-leads-u-s-delegation-to-the-52nd-organization-of-american-states-general-assembly-in-lima-peru/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future