Casa Branca
3 de fevereiro de 2021

Neste fevereiro, durante o Mês da História Afro-Americana, conclamo o povo americano a honrar a história e conquistas dos afro-americanos, e a refletir sobre os séculos de conflitos que nos trouxeram até este momento de consideração, redenção e esperança.

Nós nunca realmente aplicamos integralmente os princípios fundamentais desta nação – de que toda pessoa é criada igual e possui o direito de ser tratada com igualdade durante toda a sua vida.  Mas, durante o governo Biden-Harris, estamos comprometidos a cumprir esta promessa para todos os americanos.

Estou orgulhoso de celebrar o Mês da História Afro-Americana com um governo que se assemelha aos Estados Unidos –- que reflete todos os talentos e diversidade do povo americano, e que anuncia muitos primeiros, inclusive a primeira Vice-Presidente afro-americana dos Estados Unidos, e o primeiro Secretário de Defesa afro-americano, entre outros primeiros em um gabinete que está composto de mais americanos de cor do que qualquer outro na nossa história.

O tempo de confrontar as injustiças raciais profundas e o racismo sistêmico que continuam assolando a nossa nação, há muito já passou.  Um joelho no pescoço da justiça abriu os olhos de milhões de americanos, e deu início a um verão de manifestações e agitou a consciência da nação.

Uma pandemia alargou ainda mais o caminho de destruição, através de cada comunidade nos Estados Unidos, mas, vemos a devastação incisiva desta entre os afro-americanos que estão morrendo, perdendo seus empregos e fechando seus negócios, a uma taxa desproporcional na crise dupla, da pandemia e da economia.

Vimos como uma coalizão abrangente de americanos de todas as raças e origens se registrou e votou –- mais pessoas do que em qualquer outra eleição na história da nossa nação –- com o objetivo de curar essas feridas, se unir e mover-se adiante como nação.

Mas, também, menos de um mês depois dos ataques contra o Capitólio, contra nossa própria democracia, por uma turba de insurgentes –- extremistas e supremacistas brancos –- um final do livro dos últimos 4 anos e do ódio que marchou pelas ruas de Charlottesville, e que mostra que permanecemos na batalha pela alma dos Estados Unidos.

Precisamos trazer para o nosso trabalho a seriedade do propósito e urgência.  É por isso que estamos colocando a nossa resposta à COVID-19 em ritmo de guerra e recrutando todos os recursos que temos para conter esta pandemia, oferecendo alívio econômico a milhões de americanos que dele necessitam desesperadamente, e reconstruindo melhor do que nunca antes.

Por isso é que também estamos lançando a primeira de todas as abordagem de governo‑como um todo para promover a justiça racial e a igualdade em todo o nosso governo –- na saúde, educação, habitação,  na nossa economia, no nosso sistema judiciário e no nosso processo eleitoral.  Fazemos isso não apenas porque é o correto, mas porque é o caminho mais inteligente que beneficia a todos nós nesta nação.

Fazemos isso porque a alma da nossa nação estará consternada enquanto for permitido que o racismo sistemático persista. Isso é corrosivo.  Isso é destrutivo. Isso é oneroso. Não somos apenas moralmente em falta por causa do racismo sistemático, somos também menos prósperos, menos bem-sucedidos e, como nação, menos seguros.

Precisamos mudar. Isso levará tempo. Mas, eu acredito firmemente que a nação está pronta para fazer da justiça racial e da igualdade, uma parte daquilo que fazemos hoje, amanhã e a cada dia. Conclamo meus concidadãos americanos a honrarem a história forjada pelos afro-americanos, e a darem continuidade ao trabalho bom e necessário de aperfeiçoamento da nossa união em prol de cada americano.

AGORA, PORTANTO, EU, JOSEPH BIDEN JR. Presidente dos Estados Unidos da América, em virtude da autoridade em mim investida pela Constituição e pelas leis dos Estados Unidos, aqui proclamo fevereiro de 2021 como o Mês Nacional da História Afro-Americana. Eu conclamo as autoridades públicas, educadores, bibliotecários e toda a população dos Estados Unidos a observarem este mês com programas, cerimônias e atividades apropriadas.

AQUI, EM TESTEMUNHO, eu assino este documento, neste terceiro dia do mês de fevereiro, no ano dois mil e vinte e um do nosso Senhor, e ducentésimo quadragésimo quinto ano da Independência dos Estados Unidos da América.

JOSEPH R. BIDEN JR.


Veja o conteúdo original:https://www.whitehouse.gov/briefing-room/presidential-actions/2021/02/03/proclamation-on-national-black-history-month-2021/

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future