Departamento de Estado dos Estados Unidos 
Secretário de Estado, Antony J. Blinken 
Primeiro-Ministro De Cabo Verde Ulisses Correia E Silva 
Praia, Cabo Verde 
Comentários 
22 De Janeiro De 2024 

SECRETÁRIO BLINKEN:  Primeiro-Ministro, obrigado pelas suas incrivelmente calorosas boas-vindas, e digo-o também literalmente. Acabamos de vir da neve de Washington, D.C. literalmente para o calor de Cabo Verde. Estamos muito felizes por estar aqui. 

(Interrupção.) 

Muito bem. Obrigado. Como disse, Senhor Primeiro-Ministro, estamos aqui no primeiro dia de uma viagem que nos leva de Cabo Verde à Costa do Marfim e depois à Nigéria e finalmente a Angola, e esta viagem – e a propósito, creio que a última vez que um Secretário de Estado esteve em Cabo Verde foi há mais de 20 anos com o Secretário Powell, e estou entusiasmado por seguir os seus passos. Mas estamos aqui em Cabo Verde, em África porque, como disse o Presidente Biden, os nossos futuros estão ligados, a nossa prosperidade está ligada, os nossos povos estão ligados. E as vozes africanas moldam, animam e lideram cada vez mais as conversações do mundo. 

Os Estados Unidos estão empenhados em aprofundar, reforçar e alargar as nossas parcerias em África, parcerias que beneficiam tanto os africanos como os americanos. Como disse o Presidente Biden, África diz respeito a todos nós. Mas devo dizer-lhe que há uma boa razão para começarmos aqui em Cabo Verde, e é porque o senhor tem sido e é um parceiro notável para os Estados Unidos. E como disse, Senhor Primeiro-Ministro, esta é uma parceria que se baseia fundamentalmente em valores partilhados, bem como em interesses partilhados, e também numa profunda história conjunta. A Secretária Adjunta Phee estava mesmo a falar-me de um cabo-verdiano que desempenhou um papel proeminente na nossa própria Guerra Civil, e temos muita história desde então, e comunidades muito fortes de cabo-verdianos nos Estados Unidos que contribuem de forma notável para o nosso país. 

Mas no nosso próprio relacionamento, acredito que o trabalho que já fizemos e que podemos desenvolver em termos da nossa parceria económica é absolutamente fundamental. É extraordinário que Cabo Verde seja o primeiro país a celebrar dois pactos da Corporação Desafio do Milénio, e agora esteja a começar a construir um terceiro. Sinto-me profundamente honrado por termos conseguido, através de um dos pactos, fazer investimentos substanciais no porto aqui da Cidade da Praia, e isso trouxe benefícios manifestos para o porto. Na verdade, estou ansioso para visitá-lo mais logo. 

Teremos muitas coisas na nossa agenda, como o senhor sugeriu. Uma das coisas em que nos concentraremos é a saúde e a segurança sanitária – tenho de felicitá-los pela certificação de livre de malária para Cabo Verde, que também é uma conquista notável. Mas juntamente com a saúde, juntamente, claro, com o clima, que sabemos que anima o seu governo e anima a nossa parceria, devo também dizer-lhe que para os Estados Unidos, Cabo Verde é verdadeiramente um farol de estabilidade na região num momento de enorme instabilidade e desafios. E, claro, isso vai muito além da região da África Ocidental. Vemos isso em diferentes partes do mundo. 

  Mas o trabalho que realizaram – e temos orgulho de fazer parceria convosco – por exemplo, na aplicação da lei, na interdição de drogas, apreendendo mais de 30 toneladas de cocaína nos últimos anos, tem sido muito significativo. E além disso, na nossa própria parceria, trabalhando convosco a vossa guarda costeira, restaurando embarcações, bem como pacotes fortes para apoiar aeronaves construídas nos EUA aqui em Cabo Verde que são tão críticas para manter a consciência do domínio marítimo, garantindo que, num país que é 99% mar, têm uma visão completa do que está a acontecer ao seu redor. 

O senhor também mencionou e devo sublinhar também as questões globais nas quais temos parceria. Tenho de lhe agradecer, profundamente, pela voz forte e de princípios que Cabo Verde trouxe às conversações internacionais, às discussões internacionais, ao trabalho internacional nas Nações Unidas e outras. Podemos constatá-lo em algumas das questões muito difíceis que o senhor abordou a partir de uma posição de princípio, incluindo a agressão da Rússia contra a Ucrânia. 

Estamos também a construir parcerias baseadas no trabalho multilateral de outras formas essenciais que serão realmente benéficas tanto para os cabo-verdianos como para os americanos – a nossa nova Parceria para a Cooperação Atlântica, onde Cabo Verde desempenha um papel de liderança, e estamos gratos por isso – e depois, como também mencionei, uma voz forte em todo o mundo sobre o clima, porque conhecem melhor do que muitos os efeitos actuais e potenciais no que diz respeito às alterações climáticas. Mas a construção de uma economia azul também é, penso eu, uma parte muito poderosa da nossa parceria. 

Primeiro-Ministro, disse algo muito poderoso que só quero repetir, que é que a sua verdadeira fonte de riqueza, de riqueza está na paz, na segurança, na estabilidade e na democracia de que Cabo Verde desfruta. E queremos aproveitar esses pontos fortes em benefício dos cabo-verdianos, mas também dos americanos e, de facto, do mundo inteiro. Portanto, é com esse espírito que estamos aqui hoje – um espírito de parceria, um espírito de admiração pelo trabalho que realizaram e uma determinação de fazermos ainda mais juntos entre os Estados Unidos e Cabo Verde. Estamos gratos pelo seu acolhimento, pela sua hospitalidade. E, claro – guardei o melhor para o final – parabéns por ter passado as eliminatórias da Taça de África. Vamos assistir, vamos observar com atenção e – não conte a ninguém – vamos torcer por vós. (Risos.) Então, muito obrigado.  


Ver o conteúdo original: https://www.state.gov/secretary-blinken-and-cabo-verdean-prime-minister-ulisses-correia-e-silva-before-their-meeting/ 

Esta tradução é oferecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.

U.S. Department of State

The Lessons of 1989: Freedom and Our Future